• Processamento de imagem | Image Processing
  • Processamento de imagem | Image Processing
  • Sistema de captura e análise de movimentos | System for movement detection and analysis
  • Controle de interface gráfica por meio de atividade de músculo facial | Interaction with graphical user interface  based on EMG
  • Sinais Biomédicos | Biomedical Signal Processing
  • Engenharia Clínica | Clinical Engineering

História

As ações em Avaliação de Tecnologias em Saúde na UFU iniciaram-se por demandas internas do Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU-UFU). O HCU-UFU foi criado para atender ao ciclo profissionalizante da Escola de Medicina e Cirurgia de Uberlândia (atual Faculdade de Medicina), sendo inaugurado em 1970 e federalizado em 1978.

O HCU-UFU integra a rede de hospitais universitários do Ministério da Educação e Cultura (MEC). É uma instituição pública e universitária, destinada ao atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e ao desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão de vários cursos da UFU.

O HCU-UFU é um hospital geral, referência em alta complexidade, com 520 leitos de internação sendo o maior hospital público da região. Atualmente o HCU-UFU presta atendimento a uma população de aproximadamente 3,5 milhões de habitantes nas mais diversas especialidades.

Existem diversos setores do hospital relacionados ao processo de geração de demandas e avaliação de tecnologias em saúde. Dentre eles destacam-se a Diretoria Técnica, Engenharia Clínica, Clínica Médica, Gerenciamento de Riscos e Gestão de Processos. Estes departamentos têm desenvolvido atividades preventivas e educativas com relação à aquisição, manutenção e uso de tecnologias.

Ao longo dos anos o HCU-UFU tem atuado na área de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS), ressaltando-se o desenvolvimento de sistemas de banco de dados (SGE) para o controle de manutenção e avaliação de equipamentos médicos. Ainda, destaca-se o credenciamento do setor de Engenharia Clínica do HCU-UFU junto ao INMETRO em 2005, com a instalação de um laboratório destinado à aferição e calibração dos equipamentos hospitalares (esfigmomanômetros), o que possibilita oferecer ao usuário melhor qualidade de assistência, com valores corretos da medição da pressão arterial.

Em consonância com as ações implementadas no HCU-UFU, atividades de pesquisa na área de ATS e Engenharia Biomédica têm sido realizadas desde 1998 por membros do NIATS. A Engenharia Biomédica pode ser vista classicamente como a aplicação dos métodos de distintas áreas das Ciências Exatas e de Engenharia no campo das Ciências Médicas e Biológicas visando a inovação e avaliação de tecnologias em saúde.

As ações executadas pelos membros do NIATS resultaram na criação do curso de graduação em Engenharia Biomédica da UFU em 2006. Recentemente, em 2012, foi aprovado no âmbito da UFU a criação do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Biomédica (mestrado e doutorado acadêmico). Estas ações possibilitam a formação de recursos humanos especializados na atuação em ATS, especificamente na pesquisa, desenvolvimento e avaliação de equipamentos médico-hospitalares.

Como as atividades em ATS na UFU eram fragmentas entre as diversas unidades da instituição, constituiu-se, em 2012, o grupo de pesquisa NIATS, reconhecido pela UFU e CNPq, com a missão de desenvolver, comparar e avaliar tecnologias na área da saúde que possam ser utilizadas na prática clínica, de modo a atender às demandas do sistema de saúde nacional. O NIATS desenvolve trabalhos relacionados a várias áreas do conhecimento, como Processamento de Sinais Biomédicos, Telemedicina, Biomecânica, Imagens Médicas e ATS. A atuação do NIATS nessas áreas agrega conhecimento e experiências que podem ser aplicadas, objetivando a excelência de trabalhos e pesquisas em ATS.

O organograma do NIATS é apresentado na Figura 1. Nele são observados os grupos de trabalhos (GT) de “Priorização e fomento de estudos”, “Desenvolvimento e priorização metodológica”, “Capacitação profissional”, “Monitoramento de horizonte tecnológico”, “Disseminação dos estudos e comunicação”. O trabalho exercido por cada GT é o proposto pela Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologias em Saúde (REBRATS). As atuações em cada GT são compartilhadas entre a Engenharia Biomédica e o HCU-UFU.